jeKnowledge
jeKnowledge
Notícias

Missão: Estágio de Verão

Na jeKnowledge, um dos maiores focos passa por apostar na formação individual de cada um dos nossos membros, tentando sempre arranjar maneiras diferentes de o fazer.

É sabido que uma das grandes mais valias curriculares para um estudante são os estágios, uma vez que estes que têm como principal objetivo apostar na componente prática de cada curso, aumentando a experiência na área do mercado de trabalho. Desta forma, e em paralelo com a ideia de criar parcerias oficiais para a nossa júnior empresa, surgiu o Projeto de Estágios da jeKnowledge.

Claro que nunca atacamos só numa das frentes, e a este projeto aliou-se também um dos nossos grandes eventos do semestre passado, o .works.

E para quem não usufruiu de nenhum destes dois? Ser jeKnowledger é também saber desenrascar-se, pois olhem, esses fizeram-se à vida e foram em busca de um Verão diferente!

Foram 9 os nossos “infiltrados” que trocaram o bronze por uma experiência certamente inesquecível! Fica aqui um cheirinho do que cada um deles tem para contar…

O que andaste a fazer este Verão?

Este verão tive o prazer de estagiar na Nourish Care, empresa com base em Bournemouth e com escritório em Coimbra, no IPN. Estagiei durante 2 meses, 8 horas por dia, 5 dias por semana, juntamente com a equipa que se encontra em Portugal. Desenvolvi sobretudo software, sendo que fiquei encarregue de 2 projetos. O primeiro foi criar uma plataforma interna de estatísticas para a nossa aplicação web e mobile, para podermos de forma mais fácil seguir aquilo que os nossos utilizadores fazem. Em segundo lugar integrei a nossa plataforma com o Buddi e o Smart Things. Um dos exemplos mais marcantes é um dispositivo em forma de pulseira que os idosos utilizam e monitoriza quedas, afastamento da residência, etc.

| Pedro Caseiro, Nourish – Test, don’t trust! My Summer Internship at Nourish Care

Desenvolvi uma aplicação android! O meu estágio no Nest consistiu, em conjunto com a minha equipa, em conceber uma aplicação virada para o colecionismo de bandas através dos check-ins em concertos, descoberta das mesmas e ainda, ligação entre bandas e público. Podem inclusivé descarregá-la na Play Store e visitar o nosso site – joinaurora.com – para ficarem a conhecer um pouco mais!
Foi uma ótima experiência porque criamos um produto real desde o início sob orientação de uma equipa muito experiente. No final acabamos com algo praticamente completo do qual me sinto muito orgulhosa.

| Maria Margarida, RedLight – “Hello Aurora!”

Andei a estagiar na TUU, empresa de engenharia civil! Com a duração de um mês, frequentei em média 3 vezes por semana o escritório, localizado no IPN. Acompanhada da equipa, visitei obras em finalização, fiz medidas de obras em iniciação, das quais também fiz as plantas, e acompanhei um mapa de quantidades.
Foi uma grande oportunidade de aprendizagem profissional e pessoal. Por um lado, tive grande contato com uma área de atuação da minha futura profissão e, por outro, conheci melhor o dia a dia e a interação dos profissionais da área ou ligados a ela.

| Ana Serva, TUU

Como te surgiu essa oportunidade?

O meu estágio surgiu pelo dotworks e apesar de eu não poder ter estágio curricular nem profissional, o CEO da Whitesmith perguntou-me se gostaria de participar na seleção dos estágios de verão.
Senti que cresci como pessoa e como designer não só pela interação com uma empresa real e pelos conhecimentos novos que adquiri mas também pela cultura da empresa que dá espaço para companheirismo e boa disposição ao mesmo tempo que se trabalha.

| Filipa Cruz, Whitesmith

Devo confessar que antes deste verão não sabia grande coisa acerca da Whitesmith. Sabia o que me diziam, que eles eram supostamente fixes e faziam coisas ligadas à tecnologia. Felizmente tive a oportunidade de aprender que “eles” são muito mais que isso.
Quando o Daniel Lopes me mandou um e-mail em relação ao Projeto de Estágios da jeKnowledge nem sabia bem o que esperar. Reunimos e, ao contrário do que eu pensava, ofereceram-me um lugar como estagiária de verão. A fazer o quê? O que uma futura Engenheira Biomédica sempre pensou que iria fazer claro, Marketing Digital! Wait, what? Não, nunca pensei ser uma Social & Media Marketing Trainee…Mas sabem que mais? Não me arrependo nada desta oportunidade e voto de confiança que me foram dados e cresci bastante, tanto profissional como pessoalmente. Se quiserem saber mais acerca dos desabafos de uma Summersmith leiam o meu blogpost – Before and After: Stories of a Summersmith!

| Maria João Carriço, Whitesmith

O primeiro contacto que tive com a SWORD Health foi num seminário que teve como orador o COO, André Santos. Desde esse momento, fiquei cativada com a empresa e, principalmente, com o projeto – um sistema que promete revolucionar a reabilitação motora!
Uma tarde, quando estava a fazer scroll nas notícias do LinkedIn, “tropecei” na notícia da empresa que mencionava vagas para estágios de verão. Não pensei duas vezes antes de me candidatar!

|Márcia Rocha, SWORD

Sentes que o estágio que fizeste te enriqueceu? Se sim, de que forma?

O meu estágio consistia em quatro dias na GetSocial e uma dia na Faber. Na Faber aprendemos a desenvolver a parte inicial de um produto, ou seja, business model. No final apresentámos o que tínhamos feito a pessoas de empresas tipo Microsoft, Fox, Unbabel, Banco BIG, Vodafone.
Por isso sim, enriqueceu-me. O tempo que passei na minha startup permitiu-me melhorar as minhas skills como developer e o tempo que passei na minha VC (Venture Capital, a Faber) permitiu-me saber como vender um produto a investidores.

| Miguel Machado, GetSocial

Foi uma experiência sem dúvida enriquecedora a vários níveis. É claro que pude aprofundar os meus conhecimentos de programação (esse era um dos objetivos) mas o enriquecimento foi além de meros conhecimentos técnicos.
Por exemplo, lidei de perto com toda a logística envolvida numa empresa: o controlo rigoroso de versões, certos protocolos a cumprir, etc.
Apercebi-me das várias etapas envolvidas na formação de um produto, as diversas dificuldades e soluções que tivemos de enfrentar.
Aprendi como pessoa e aprendi a trabalhar em grupo. Os problemas são muitos e grandes, portanto, só pensando como unidade, só discutindo as ideias todos juntos é que conseguimos chegar à solução. Mas o companheirismo não era só durante o horário laboral, manifestava-se também em atividades para lá desse horário (jogos de futebol, jantares, saídas, etc) que são necessários para o fortalecimento do grupo.

| Joel Pires, Ubiwhere

Este ano tive um verão um pouco diferente do habitual, tudo devido à Peekmed. Foi um mês intensivo onde não só enriqueci os meus conhecimentos técnicos, como aprendi o dia-a-dia de uma empresa tecnológica. O meu estágio consistiu na criação de uma app para automatizar a recolha de informação de ficheiros de instrumentos médicos vindos de diversos fornecedores para uma base de dados e, no final, ainda aprendi um pouco sobre quality management. Isto tudo só se concretizou graças às pessoas com as quais trabalhei durante estágio, uma vez que estas estavam sempre dispostas a parar as suas tarefas, quando necessário, para me ajudar e até mesmo integrar.

| Filipa Costa, Peekmed

jeKnowledge Academy (3ª edição)

O jeKnowledge Academy está de volta (e está cada vez melhor)!

É já nos dias 12, 13 e 14 de julho que os membros da jeKnowledge vão dar as boas-vindas a mais de 20 alunos do 9º ao 12º Ano para a 3ª Edição do jeKnowledge Academy! Este ano, seguimos a fórmula vencedora dos anos anteriores, ou seja, três dias de aprendizagem de programação e eletrónica mas também de muita diversão sob o mote “Programação e eletrónica não têm de ser ciência espacial!”.

No entanto, como há sempre espaço para melhorar, inovámos, e este ano incluímos um workshop de game development em Processing. Processing pareceu-nos a escolha mais adequada devido às semelhanças com o ambiente de desenvolvimento do Arduino, a plataforma de excelência para prototipagem eletrónica. Por falar em Arduino, os participantes irão receber um kit de eletrónica no valor de 30€ para que, depois do workshop de Arduino, possam continuar a desenvolver os seus próprios projetos com a ajuda de alguns dos tutoriais que temos disponíveis.

Além destes dois workshops, existe também um terceiro, de HTML+CSS onde os alunos podem aprender a desenvolver a sua página pessoal assim como alguns conceitos de Design. Ao longo dos três dias, haverá ainda tempo para ter uma experiência de Realidade Virtual com o Oculus Rift da jeKnowledge, um quiz, um peddy-paper e uma visita à Sala Experimenta no Departamento de Física.

Como são os membros da jeKnowledge a coordenar as atividades e a dar os workshops, o ambiente é descontraído e a aprendizagem é promovida ao máximo. Queres saber como é estudar Design, Engenharia Informática, Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, Engenharia Biomédica, Engenharia Física ou Física? Então terás a oportunidade de ouvir os testemunhos de alguns alunos na primeira pessoa!

O jeKnowledge Academy surgiu em 2014 como forma de colmatar algumas das dificuldades que alguns membros da jeKnowledge sentiram quando entraram no mundo universitário. Desde a escolha dos cursos à falta de bases de programação, achámos que havia um contributo muito importante a dar à comunidade estudantil de Coimbra.

Academy

Mas o melhor de tudo é que ainda temos um lugar para ti! Inscreve-te até dia 10 de julho e vem conhecer na primeira mão a jeKnowledge e tudo o que a Universidade de Coimbra tem para te oferecer!

Jenóladje

Olá, o meu nome é Sara Neves e no primeiro Demo Day de 2016 apresentei o meu projeto de estágio da jeknowledge. Estando no departamento de tecnologia, foi-me proposta a realização de um vídeo promocional para a jeknowledge que poderia ter, como foco principal, a dificuldade de muitos em pronunciar o nome da Júnior Empresa.

Desde ínicio, estava decidido que iria filmar, pelas ruas de Coimbra, pessoas a ler uma placa com “jeKnowledge” escrito. Como me foi sugerido, tentei incorporar os símbolos da escrita fonética na placa mas, depois de muito considerar, cheguei à conclusão que não iria resultar em filmagens pois, provavelmente, a reação das pessoas não iria ser a desejada. Pedi várias opiniões e, finalmente, decidi colocar no verso da placa a palavra “jenóladje”, que corresponde à palavra em português mais próxima do modo correto de pronunciar o nome da júnior empresa.

fonetica

Assim que tive a placa pronta, o passo seguinte foi proceder às filmagens. Desde o mercado à Universidade, filmei turistas, estudantes e trabalhadores a ler as duas palavras. Não podia planear nem influenciar a reação das pessoas, por isso todos os clipes são diferentes e espontâneos. As maiores dificuldades que enfrentei foram a meteorologia e a disponibilidade das pessoas. A chuva afetava a imagem e o vento o som. Para além disso, como era de esperar, nem todos os pedidos de gravação foram aceites. Apesar de tudo, há sempre pessoas dispostas a contribuir e que tornam todo o processo mais divertido.

jenoladje

Feitas as filmagens, passei à montagem e edição do vídeo. Optei por fazer vários cortes nos clipes, de modo a que o vídeo final não fosse muito extenso e que tivesse sempre algum andamento. É um vídeo que obriga à concentração do espetador, pois perder dois segundos significa perder uma intervenção. O que acaba por acontecer neste tipo de vídeo é que o podemos ver várias vezes que estamos sempre a reparar num novo detalhe. Penso que é isso que lhe dá dinamismo e o torna atrativo, que é o desejado num vídeo promocional.

jek

Concluindo, foi um projeto de estágio que me deu gozo fazer, não só por combinar com a minha área mas também porque a realização deste tipo de vídeos foi uma das principais razões pelas quais escolhi esta área. Para além disso, a abordagem e interação com as pessoas na rua foi uma experiência que não é todos os dias que temos oportunidade de fazer. Aqui fica o resultado!

Jenóladje?